Saúde em Santa Maria da Feira: Zelar pelo bem-estar feirense
Opinião

Saúde em Santa Maria da Feira: Zelar pelo bem-estar feirense

Depois de já ter abordado temas como a cultura, desporto, educação, emprego, transportes e o turismo, não podia deixar de fora uma temática tão essencial como a da saúde. A saúde é, sem dúvida alguma, um dos pilares mais importantes para a vida humana (se não o mais importante), cabendo a cada cidadão a responsabilidade de cuidar e preservar a sua saúde, mantendo também um olhar atento sobre a mesma daqueles que lhe são mais próximos. E claro está, os avanços que se tem realizado nesta área ao longo, principalmente, da última centena de anos, têm sido cruciais para o aumento da longevidade e da qualidade de vida humana.

No caso de Santa Maria da Feira, e recorrendo a dados do Pordata, existem dois indicadores que traduzem bem o impacto da melhoria das condições de saúde no aumento da longevidade populacional. Começando pela percentagem de idosos (a partir dos 65 anos), e comparando os anos 1960 e 2021, esta aumentou quase quatro vezes: de 6% para cerca de 21%. Ao nível do índice de envelhecimento (idosos por cada 100 jovens), o seu aumento foi superior em mais de dez vezes: de 16 (15,8) para 167 (166,8). Por outro lado, e a título de complementaridade, verificou-se uma diminuição no número de jovens, sendo o valor atual (em 2021) cerca de um terço daquilo que era em 1960: descida de 37,7% para 12,6%. Aspetos como a utilização de métodos contracetivos, planeamento familiar e a entrada da mulher no mercado de trabalho ajudam a explicar este fenómeno.

No entanto, é preciso salientar de que nada serve existirem avanços ao nível da medicina e da saúde, se não houver profissionais, equipamentos e infraestruturas onde se possa aplicar esta evolução, e aonde os cidadãos possam recorrer caso precisem. Felizmente, o concelho de Santa Maria da Feira dispõe de diversas opções capazes de darem resposta às necessidades dos locais. O Hospital de São Sebastião é a principal solução, contando com a prestação de serviços assentes numa larga abrangência de campos de especialidade da medicina. Em termos de centros de saúde, estes encontram-se espalhados de uma forma estratégica pelo Concelho, de modo que possam ser acedidos pelos habitantes das diferentes freguesias, totalizando 25 centros. O papel desempenhado pelos centros de saúde alargou-se no contexto da pandemia, ao também servirem como centro de vacinação contra a Covid-19. Já em relação às farmácias, o Concelho conta com um total de cerca de 27 espaços, localizados igualmente de forma estratégica. Na altura da pandemia, grande parte das farmácias prestaram serviços de combate à mesma: testes Covid, entregas ao domicílio, vendas online e drive-in.

As Termas de S. Jorge, localizadas na União de Freguesias de Caldas de S. Jorge e Pigeiros, é outro espaço de extrema importância no âmbito do bem-estar do Concelho, servindo não só a população local, como também recebe pessoas de todo o país, estando igualmente direcionada para o turismo termal. Dado o poder medicinal das suas águas, as Termas de S. Jorge vocacionam-se para terapêuticas reumáticas, músculo-esqueléticas, vias respiratórias e pele. Os programas são desenhados à medida do termalista numa ótica de prevenção, promoção ou reabilitação da saúde. Isto é possível fruto das inovadoras técnicas, aliadas ao acompanhamento médico especializado e à vasta equipa de profissionais habilitados.

A formação dos habitantes na área da saúde é algo visto com grande importância pelo Concelho, tendo por isso criado projetos nesse âmbito. Começando pelo projeto ‘Abecedário da Saúde’, trata-se de um projeto pedagógico na área da Literacia em Saúde que aborda áreas tão diversas como a alimentação, a atividade física, a tensão arterial, o colesterol, a glicémia, a saúde oral, a vacinação, entre outras. Este projeto contou com a realização de três instrumentos pedagógicos e informativos — um vídeo, um jogo de tabuleiro e um jogo digital — destinados à população em geral, que apresentam uma configuração acessível, permitindo o seu uso intergeracional a partir dos 12 anos de idade. Já o projeto ‘Cuidar de Quem Cuida’ tem como objetivos centrais a dinamização de ações de intervenção personalizadas, ao nível do apoio e acompanhamento psicológico, jurídico e social dos cuidadores informais de pessoas com demência.

Em nota de conclusão, percebe-se que o Concelho tem capacidade para satisfazer as necessidades dos seus habitantes ao nível da saúde, devendo procurar manter uma atitude ativa e de entreajuda, a fim de garantir uma melhor qualidade de vida a todos os Feirenses.

Assine agora
X